Ignez Ferraz, arquitetura & design  
Loading
     
PERFIL
CONTATO
NA MÍDIA
ARTIGOS
DICAS
 
Portfólio
DESIGN - MÓVEIS
ARQUITETURA
INTERIORES
MOSTRAS
MÓVEIS
Apoio
arquitetura & construção
design & internet
 
 home » artigos » renzo kubrick piano & richard allen meier
RENZO Kubrick PIANO & RICHARD Allen MEIER
Por Ignez Ferraz
O diretor nova-iorquino Stanley Kubrick (1928-1999) é mundialmente (re)conhecido pela sua diversidade de gêneros cinematográficos: do sensual “Lolita” (1962) ao agressivo “Laranja Mecânica” (1971); do cômico “Dr.Fantástico” (1964) ao aterrorizante “O iluminado” (1980); do precursor futurístico “2001: Uma Odisséia no Espaço” (1968) aos detalhes pictóricos da aristocracia inglesa do séc. XVIII em “Barry Lyndon” (1975).



Centre Georges Pompidou, Piano & Rogers, 1971-77


Na Arquitetura, ninguém mudou tanto de “gênero” quanto o genovês Renzo Piano (1937). Famoso pelo projeto do Beaubourg em Paris (Centre Georges Pombidou), o jovem arquiteto causou polêmica ao inserir uma máquina tecnológica coloridíssima no coração do Marais, bairro tradicional de calma neutralidade.


Premiado com o Pritzker em 1998, sua associação com Richard Rogers (Pritzker 2007 – vejam outros agraciados com esta honraria em Profissão Arquiteto: INVISTA!) perdurou até a conclusão do Centro Cultural. Sempre ligado em estruturas high-tech, associou-se posteriormente a Peter Rice, até a morte do engenheiro irlandês em 1992. Atualmente seu ateliê (com cerca de 100 profissionais) chama-se RPBW (Renzo Piano Building Workshop) e, com seus planos escalonados, é a sede arquitetônica internacional mais impactante.



Renzo Piano Building Workshop, Genova, 1989-91


Especializou-se em Museus e alguns dos seus mais recentes projetos nesta área apresentam soluções antagônicas: a extensão do robusto Whitney Museum of American Art (finalmente liberado para construção no Meatpacking District depois de décadas de discussões para extensão do projeto brutalista de Marcel Breuer) e o leve e ondulante Zentrum Paul Klee em Berna, Suiça.



Zentrum Paul Klee, Berna, 2005


Outros projetos de destaque são o plano para Postdamer Platz (2000 - detalhe em Janelas de Berlim), o Auditorium Parco della Musica em Roma (2004) e a bela Maison Hermès em Tóquio (2006).


Porém o conceito mais avesso ao seu início de carreira se encontra no Centro Cultural Jean-Marie Tjibaou na Nova Caledônia (nota). Neste projeto destacam-se a sensibilidade ao ambiente natural, a capacidade de diálogo social e o respeito intelectual, que se propõem a compreender esta cultura, tão diversa da européia.



As construções se basearam na tradição da cultura Kanak


Sua fonte de inspiração surgiu a partir dos hábitos da população, conjugados à exuberância da vegetação e extensa superfície líquida do oceano Pacífico, demonstrando sua grande preocupação com o entorno - social e ecológico.

O clima ventilado demandando estruturas e materiais próprios da região foram observados na construção da habitação Kanak.
Uma reflexão sobre a técnica construtiva e cultura material conduziu o mestre a uma morfologia que nos remete às cabanas locais de madeira ripada.






Três grupos de cabanas com alturas diversas abrigam funções e atividades específicas.


“A verdadeira universalidade na Arquitetura se realiza através do legado das raízes, a gratidão pelo passado e o respeito pela genealogia”, conclamou Renzo em 2005. Quem diria, hein?


Kubrick era admirador do conterrâneo Woody Allen , e tentou escalá-lo para seu último filme “De olhos bem fechados” (cujo papel coube a Sidney Pollack). Ao contrário dele, este genial ator-diretor persegue um único caminho, aprofundando-se nas narrativas de suas comédias psicológicas e personagens quase sempre nova-iorquinos e inseguros - sua própria persona. (É claro que não estou me referindo à guinada européia de filmes como "Scoop", "Cassandra's dream" ou "Vicky Cristina Barcelona")
E na Arquitetura, quem faria este papel opositor ao múltiplo Piano?


RICHARD Allen MEIER


Apelidados de whites (como são chamados os arquitetos que projetam apenas com branco), Richard Meier é insuperável no rigor dos seus detalhes, que emprega tanto em programas residenciais quanto institucionais, principalmente Museus, assim como Renzo.(Seu projeto mais famoso nesta área é o Getty Center em Los Angeles, já mencionado em Profissão Arquiteto: INSISTA!)



“Museu Frieder Burda” em Baden-Baden, Alemanha, 2001-04



“Douglas House” em Michigan, EUA, 1973



Apesar do repertório limitado de materiais e de formas arquitetônicas bastante específicas, Meier demonstra que essas limitações auto-impostas ainda podem proporcionar grande variedade de soluções.


Nota: Nova Caledônia é um arquipélago no sudoeste do Oceano Pacífico, que, de Colônia Francesa passou a território independente, graças à ação do líder Kanak Jean-Marie Tjibaou, assassinado em 1989.


Sobre o tema "Opostos na Arquitetura", leia também:
Arquitetura de Exportação – SIM ou NÃO?
Contraste x Integração arquitetônica
 
Leia Também
 
 
Ignez Ferraz Perfil | Contato | Na mídia | Artigos | Dicas | Arquitetura | Interiores | Design-Móveis | Mostras.
  © 2003 Ignez Ferraz. Direitos reservados. Website by Felipe Memória