Ignez Ferraz, arquitetura & design  
Loading
     
PERFIL
CONTATO
NA MÍDIA
ARTIGOS
DICAS
 
Portfólio
DESIGN - MÓVEIS
ARQUITETURA
INTERIORES
MOSTRAS
MÓVEIS
Apoio
arquitetura & construção
design & internet
 
 home » artigos » evolução dos interiores - salas e home theaters
Evolução dos Interiores - Salas e Home Theaters
Por Ignez Ferraz
Living & Dining (r)evolutions





TODOS OS EXEMPLOS DESTE ARTIGO SÃO PROJETOS DE INTERIORES, DESIGN DE MOBILIÁRIO E EXECUÇÃO DA ARQUITETA IGNEZ FERRAZ


“O que é a casa? O recanto dos encontros e desencontros? O local de trabalho e repouso? A "máquina de morar" preconizada pelos modernistas? Um símbolo de status ou uma brincadeira formalista?
De tudo um pouco, a casa é o reduto da família, e, portanto, seu próprio espelho.”


Introdução do livro "500 Anos da Casa no Brasil" de Francisco Veríssimo e William Bittar, que me serviu de base para elaborar o Evento de inauguração do RIO DESIGN BARRA. (veja OBS.)


Assim como no livro, para que pudesse contar a história da evolução dos nossos cômodos, "setorizei" este artigo numa trilogia – SOCIAL, SEVIÇOS e setor ÍNTIMO, tornando-o mais claro e didático.


Achei conveniente fazer um paralelo com os INTERIORES (os exemplos são de projetos nossos) no presente. Lembramos que tanto no mobiliário quanto em matéria de revestimentos ou acessórios, alguns itens permaneceram bastante atuais como o design da Bauhaus (leia “Rietveld, Mondrian e Saint-Laurent”) , móveis "Déco" ou "pé-palito" (recorde-os em “ANOS JK”) , ladrilhos hidráulicos e pastilhas, além de objetos art-noveau (admire-os em “Personalidade”).


SOCIAL


À medida que se estreitam os laços com a Europa civilizada, aumentam os aposentos da área social, requintando-se a decoração. Temos diversas salas com destinos variados como salas de espera, de música, biblioteca.


Salas


O século XX vai adotar estas idéias nas residências nobres ou de classe média em ascensão. Mesmo nos primeiros edifícios de apartamentos, esta prática de utilização de vários aposentos para o setor social mantém-se quase inalterada – principalmente em relação às salas de Estar e Jantar.



No presente, o home theater seria o cômodo que melhor representaria nossa evolução tecnológica da Sala de Música Art-Nouveau do início do século, integrando som e imagem através de vídeo-lasers e DVDs.



Estante para som e TV, além de livros e mesa de trabalho


Já a Biblioteca corresponderia hoje ao home office. CD-roms substituem livros, "home-pages" divulgam o trabalho, enquanto "e-mails" e fax tornam a comunicação ultra-rápida, na velocidade exigida pelo novo século, onde, em tempos de Internet, não se precisa sair de casa sequer para fazer compras – basta buscá-los nos sites.
O trabalho em casa, realizado por profissionais liberais ou prestadores de serviço, está cada vez mais difundido, graças ao computador, ferramenta indispensável para qualquer área.
Se, além disso, há hoje um número crescente de funcionários trabalhando em suas residências, com equipamentos cada vez mais bonitos e sofisticados, por que não desenvolver novos produtos leves e delicados, que lembrem o mobiliário de um "home office"? Por que não torná-los híbridos, podendo ser utilizados em casa no escritório?


Assim surgiu o conceito OFFICE HOME, com linhas compostas por elementos leves e intercambiáveis, podendo agrupar-se das mais variadas formas.



Na linha ALEX mesa e gaveteiro deslizam na bancada enquanto no armário superior as divisões verticais e a porta de correr são em vidro jateado. (Observem os detalhes na Mostra “Feira Construir”.)


Com os espaços cada vez mais reduzidos, a sala de jantar, quando não ocupa apenas um canto do living, funciona como sala de jantar reversível, sendo utilizada como ambiente de jogos e de trabalho (como na “sala de jantar apartamento”), com mesas de rodízio ou reguláveis na altura.



Poltronas pequenas (inclusive rotativas) são boas opções para substituir sofás na falta de espaço, principalmente nas salas de formato quadrado. Sob a bancada da TV, carrinhos móveis guardam CDs e DVDs, além de servirem como pufes extras.



Sala de jantar/mesa de jogos em canto do living, próximo à luz natural. A luminária articulada pendente do teto coopera com os dois ambientes.



Dupla função: refeições e mesa de centro.


Na década de 30, a família de classe média, apreensiva com o radicalismo "moderno", opta pelo Neocolonial, movimento luso brasileiro, surgido em meio a ardorosas declarações de nacionalismo. Os estilos hispano-americanos como o californiano e o "missões espanholas" aparecem associados a tendências conservadoras.
E nessas soluções formais o alpendre adapta-se perfeitamente à disposição geral da residência, refletindo o uso intenso que todos fazem deste espaço, redescobrindo modelos do século XVIII com seus terraços em arco, pérgulas e pátios internos.


Hoje as varandas são indispensáveis tanto nas casas quanto nos apartamentos (mesmo em pequenas dimensões) conferindo-nos o verde necessário na áreas íntima e social, beneficiando-se do nosso clima.



Bar curvilíneo em mogno com passa-pratos para mini-cozinha independente neste anexo.



Poucos sabem fazer uso do nosso clima e sentir o prazer de uma refeição na varanda do seu apartamento.


Nota: Leiam também sobre os outros setores: “SERVIÇOS” e “ÍNTIMO”.


OBSERVAÇÃO: Este texto foi baseado no evento “500 anos da Casa Brasileira” que idealizei para a inauguração do RIO DESIGN BARRA, como comentou a vice-presidente da Servenco para lojistas, arquitetos e jornalistas, no Hotel InterContinental.




E-mail recebido do William Bittar
Ignez,
obrigado mesmo pela atenção!
E também pelo carinho com nosso trabalho, sempre divulgado em seus textos.
um abraço
William
 
Leia Também
 
 
Ignez Ferraz Perfil | Contato | Na mídia | Artigos | Dicas | Arquitetura | Interiores | Design-Móveis | Mostras.
  © 2003 Ignez Ferraz. Direitos reservados. Website by Felipe Memória