Ignez Ferraz, arquitetura & design  
Loading
     
PERFIL
CONTATO
NA MÍDIA
ARTIGOS
DICAS
 
Portfólio
DESIGN - MÓVEIS
ARQUITETURA
INTERIORES
MOSTRAS
MÓVEIS
Apoio
arquitetura & construção
design & internet
 
 home » artigos » imensidão azul em noronha
Imensidão azul em Noronha
Por Ignez Ferraz
The deep blue of Fernando de Noronha


LIVRE ASSOCIAÇÃO:
Fernando de Noronha / Golfinhos / “Imensidão Azul”






“Imensidão Azul” (“Le Grand Bleue”, Luc Besson, 1988) conta a história de dois garotos, Jacques e Enzo, que, ainda meninos, brincavam de mergulho nas horas vagas na Grécia (leia “Belíssima Santorini”). Os anos passam, e agora Enzo (Jean Reno, também protagonista de "O profissional”, do mesmo Besson, onde a ainda pré-adolescente Natalie Portman mostrou que chegou para ficar) é pentacampeão mundial de mergulho de profundidade, e Jacques (Jean-Marc Barr, que interpreta o famoso mergulhador Jacques Mayol), um loser que precisa de toda a compaixão do mundo para poder respirar. (Nota 1)


"A afinidade real que existe entre o homem, o mar e o golfinho nos ajuda a melhor compreender e respeitar os valores que tanto nossos amigos marinhos têm: o equilíbrio com o nosso meio ambiente, a alegria de viver e a liberdade."
Jacques Mayol



Selecionei trechos (com os quais concordo plenamente) de uma crítica de Luiz Carlos Oliveira Jr. sobre o filme:


“O grande atrativo desta película está mesmo nas seqüências embaixo d’água, no comportamento dos golfinhos, no azul mediterrâneo do mar, e na forte trilha sonora original composta por Eric Serra (com ecos e sons que imitavam golfinhos). E será assim ao longo de toda a projeção: a música sempre perdendo a melodia e tentando se adaptar ao inescrutável das profundezas oceânicas. As imagens são indiscutivelmente belas, valem por si mesmas, por seu apelo visual.”


Jacques termina fazendo o que sempre ameaçou fazer: juntar-se aos golfinhos, perder-se naquela paz. Desta vez, em silêncio.





José Martins da Silva Júnior é um especialista em fotografar golfinhos-rotadores, seres gregários (350 em média) que podem ser observados em 90% dos dias do ano na “Baía dos golfinhos”, local de descanso e acasalamento.


Depois de dois recordes mundiais realizados pelo nosso lendário mergulhador Américo Santarelli, a atleta Karol Meyer pôde resgatar o nome do Brasil para os primeiros lugares. Foi a única a realizar três recordes mundiais em apnéia estática e um recorde mundial de profundidade. Apaixonada pelo filme, reviu-o dezenas de vezes (inclusive na versão integral em DVD) até decorar todas as falas.


Comenta Karol:


“O filme arrebata a todos que amam a água, desde seu início.
Quem não arriscou uma apnéia pelo menos uma vez quando era criança? Quem não gostaria de ter um golfinho de estimação para brincar sob o luar e dividir infindáveis horas no mar?
Ou de poder descer ao mais profundo azul, se sentindo parte desta imensidão, lá onde você está sozinho, com uma paz profunda e a vontade de não abandonar este momento jamais.
São segundos que mais parecem uma eternidade, momentos que somente os mergulhadores buscam e compreendem tão bem...”



Agora corta, e vamos à história de outros mergulhadores. Saem Jacques e Enzo e entram Luiz Cláudio Lacerda e Rogério Randolph, fotógrafos do belíssimo livro “Fernando de Noronha 360°".
Saem as ilhas gregas e entra Fernando de Noronha.


A famosa dupla descreve um pouco da fauna marinha que podemos observar na ilha:
“Cordões recifais, colônias de algas, esponjas, corais e anêmonas, caramujos, caranguejos, polvos e móreias. Cardumes de peixes residentes como os “sargentos” (amarelos com listas pretas, mais conhecido como “saberês”) e o curioso “baiacu” (aquele que se incha na hora do perigo). Dos peixes migrantes os mais comuns são as anchovas, albacoras e dourados.”


Bem, que tal acompanhá-los num mergulho por essas profundezas para melhor compreendermos tamanha fascinação por este mundo submerso? Além da dupla, convidamos também Adilson Morales, conhecido por suas ecofotos.


Um...dois...três...agora!





Uau! Reparem na perfeição das listas “néon” neste cardume de xiras clicadas pelo Adilson...





Caramba! Já desta sua “raia-manteiga” não chego perto...
Os rapazes observam: Imagina se fosse a imensa “raia-manta”!





Moralez nos chama atenção para a coloração intensa deste “barbeiro azul”, enquanto nossa dupla nos conta que a “donzela-das-Rocas”, apesar de amarela, possui uma mancha azul brilhante que aumenta conforme envelhece. Como tenho um grande interesse pelas cores, explicam que os coloridíssimos “peixes-borboletas” são encontrados apenas em águas profundas.





Alguns tentam se proteger, escamoteando-se como esse peixe com manchas de “pedras”...





. . . e outros “não tão nem aí” . Também, quem vai peitar um tubarão? (Os mais comuns na região são o “limão” e o “lixa”)





Mas se do tubarão temos medo, a tartaruga (Nota 2) é nossa amiga. (Aproveite o embalo e veja também outras fotos do badalado Gregory Colbert, sobre a interação homens-animais na DICA “Ashes and Snow”). As tartarugas mais comuns encontradas em Noronha são a “tartaruga verde” (que pode chegar a 1.20 m de comprimento e 250 kg) e a “tartaruga-de-pente”, considerada a mais bonita (1.00 de comprimento e 150 kg). Possui escamas marrons e amarelas, sobrepostas como telhas.





Ufa, chegamos! Este é o famoso “Morro Dois Irmãos”,que, segundo a tradição popular, são originários da Lenda do Pecado: um casal de gigantes foi petrificado por uma maldição; eles seriam o seio da mulher e o Morro do Pico, órgão masculino. Taí, gostei!





Nota 1 – Estava em Paris (minha cidade do coração – se quiserem se atualizar sobre os novos espaços das Artes, leiam o ARTIGO Museus de Paris) quando assisti ao lançamento deste filme com meu “sexto irmão” Pedro. Bem, após a projeção eram oferecidos drinks à base de curaçao Blue. Aquela cor azul turquesa me fascinou – mas o sabor não.
Obs: Curaçao é uma ilha que fica no caribe holandês. Vocês já foram ao Caribe? Aaahhhh...não tem imensidão azul igual!


Nota 2 – A foto da tartaruga é do projeto TAMAR, criado pelo Ibama (ex IBDF) em 1980, para proteger as cinco espécimes de tartarugas marinhas. Hoje possuem 20 bases espalhadas por 8 estados.


E-mail do Adilson Moralez:


Olá Ignez

Legal sua iniciativa de mesclar fotografia com seu trabalho. Muito criativo o site – parabéns e obrigado pela divulgação.

Um grande abraço
 
Leia Também
 
 
Ignez Ferraz Perfil | Contato | Na mídia | Artigos | Dicas | Arquitetura | Interiores | Design-Móveis | Mostras.
  © 2003 Ignez Ferraz. Direitos reservados. Website by Felipe Memória