Ignez Ferraz, arquitetura & design  
Loading
     
PERFIL
CONTATO
NA MÍDIA
ARTIGOS
DICAS
 
Portfólio
DESIGN - MÓVEIS
ARQUITETURA
INTERIORES
MOSTRAS
MÓVEIS
Apoio
arquitetura & construção
design & internet
 
 home » artigos » efeitos da incidência solar nas fachadas
Efeitos da incidência solar nas fachadas
Por Ignez Ferraz
Complexidade x Simplicidade


O 'instante conceitual' de Coop Himmelblau (vejam em Arquitetura de Exportação) gerou a arquitetura complexa que encontramos nos americanos Frank Gehry,o grupo californiano Morphosis e na única representante feminina de grande porte, a iraniana Zaha Hadid. Sem o uso de programas computacionais, muitos destes projetos não poderiam se viabilizar, assim como o projeto "A Onda" do holandês René van Zuuk.



René van Zuuk, “Blok 16” em Almere, Países Baixos, 2002-04. A fachada inclinada e escalonada faz com que o edifício pareça prestes a se mover. Seu sugestivo nome e sua tonalidade - que varia de acordo com a incidência solar - também colaboram com esta sugestão de movimento.


Caminhando contra esta corrente, surge um novo movimento moderno saudado mundialmente: o neo-minimalismo.
Em mais um exemplo dos Países Baixos, na península de Borneo em Amsterdã, foram construídas centenas de casas, como as de Koen van Velsen (vejam fotos em Profissão Arquiteto: INVISTA!). Concebidas para espaços exíguos, sua horizontalidade apresenta qualidades quase orientais, com efeitos de transparência e opacidade.


Mas é claro que nesse quesito os japoneses são imbatíveis e Tadao Ando a prova mais concreta, com seus projetos silenciosos, onde a luz natural penetra de forma controlada e mágica.
Seu conceito: “As formas que crio alteram-se e ganham significado através da natureza dos elementos (luz e ar), que marcam a passagem do tempo e a mudança das estações.



Tadao Ando, “Casa Koshino” em Kobe, Japão, 1983-90. O espaço expressivo caracteriza-se pela preocupação com a iluminação e suas nuances. As janelas estão colocadas de modo a proporcionarem apenas uma vista limitada do jardim, mas deixam entrar quantidades generosas de luz, que inundam as superfícies de concreto.


Apesar do orçamento restrito para execução de um conjunto de arquitetura simples, os arquitetos holandeses do “UN Studio”(Ben van Berkel) conseguiram inserir uma nova tecnologia, pesquisada durante três anos - um vidro integrado a papel de alumínio multicolorido, que, ao captar a luz no decorrer do dia, produz alternância de cores nas fachadas. Seu efeito: simples ou complexo? Vocês decidem!



Un Studio, “La Defense” em Almere, Países Baixos, 1999-2004





Nota: Sobre o tema dos "Opostos na Arquitetura" leiam também:
Contraste x Integração arquitetônica
RENZO Kubrick PIANO & RICHARD Allen MEIER
 
Leia Também
 
 
Ignez Ferraz Perfil | Contato | Na mídia | Artigos | Dicas | Arquitetura | Interiores | Design-Móveis | Mostras.
  © 2003 Ignez Ferraz. Direitos reservados. Website by Felipe Memória